Aulas Online

O ITS – INSTITUTO TEOLÓGICO SHAMMAH, traz para você mais esta novidade, AULAS ONLINE, onde você terá professor no dia e na hora em que você definir, professores pre-agendados 24 horas, 7 dias por semana, 365 dias por ano.

Os sistemas que serão utilizados para as aulas é através do SKYPE que deve ser baixado através do link http://www.skype.com/pt-br/download-skype/skype-for-computer/

Ou ainda através do Paltalk, onde o aluno conta com uma sala de aula virtual 24 horas http://www.baixaki.com.br/download/paltalk.htm

o sistema requer do aluno um computador de boa qualidade, uma web cam, um microfone, caso seja um NETD online, ainda será necessário um Telão e um projetor de imagens.

Para o aluno desfrutar desta novidade, deverá ao se inscrever no curso desejado colocar a solicitação para aula online, que é uma aula por semana 2 horas de aula, os plantões podem ser realizados através do Paltalk, Skype ou ainda através do facebookhttp://www.facebook.com/InstitutoTelogicoShammah

A SALA DE AULA TRADICIONAL X A SALA DE AULA VIRTUAL

Conhecimento e informação podem ser transferidos para outrem, sem que eu fique sem eles. Se formos espertos, conseguiremos produzir mais conhecimento e mais informação, ao compartilhá-los. (Alvin Tofler, 03/05/2000)

A chegada da Internet em nossa sociedade teve um efeito ecológico, pois essa nova tecnologia tem gerado mudanças significativas no ambiente das interações humanas. Depois da Internet, muda-se a relação entre os homens e seu ambiente e cria-se o que Lévy (1999) intitula de cibercultura, uma experiência de comunicação coletiva. Segundo Postman, citadoemDebski (1997:41), technological change is neither additive nor subtractive. It is ecological. I mean ‘ecological’ in the same sense as the word is used by environmental scientists. Onesignificantchangegenerates total change.

Ser um cidadão pleno no século 21 implica ter acesso a Internet, pois este recurso é hoje parte integrante dos hábitos de cidadãos socialmente privilegiados. Danet (1996) chama a atenção para o sucesso do fenômeno que envolve dezenas de milhares de pessoas compondo e enviando mensagens através do computador como um renascimento da arte de escrever cartas. O correio eletrônico é uma das funções mais utilizada na rede mundial de computadores e, dentro de pouco tempo, será tão comum enviar um e-mail como discar um telefone. (DeHart&Penrose: http://cc.pcmarketgroup.com/emaildoc.asp)

O desafio que se coloca para a sociedade é estender esse direito a todas as camadas da população. Alguém já disse que os excluídos não são só os sem-terra, mas também os sem-internet.

A rede mundial de computadores gerou uma maior aproximação ente os povos e trouxe ao ensino de línguas a oportunidade de interação real com nativos e outros falantes da língua alvo. Valente &Damski (1995: XIII) afirmam que a presente revolução nas comunicações só se compara à invenção da imprensa e acrescentam que a Internet pode se tornar um "divisor de águas" social, sem o qual a história da humanidade não poderá ser escrita. (p.1)

A Internet e seus muitos recursos contribui para a formação de uma inteligência coletiva, como definida por Lévy (1998:28), uma inteligência distribuída por toda parte, incessantemente valorizada, coordenada em tempo real, que resulta em uma mobilização efetiva das competências. Na opinião de Lévy (1999:164)

A desterritorialização da biblioteca que assistimos hoje talvez não seja mais do que o prelúdio para a aparição de um quarto tipo de relação com o conhecimento. Por uma espécie de retorno em espiral a coletividades humanas vivas, e não mais suportes separados fornecidos por intérpretes ou sábios. Apenas, desta vez, contrariamente à oralidade arcaica, o portador direto do saber não seria mais a comunidade física e sua memória carnal, mas o ciberespaço, a região dos mundos virtuais, por meio do qual as comunidades descobrem a constroem seus objetos e conhecem a si mesmas como coletivos inteligentes.

É dentro deste espírito de desterritorialização não só da biblioteca, mas também da sala de aula, e dentro do conceito de comunidades virtuais de aprendizagem que estamos gerenciando nossos cursos de Teologia básica, média e avançada, no ITS –INSTITUTO TEOLÓGICO SHAMMAH. Recorremos a materiais disponíveis em sites de vários continentes e utilizamos o correio eletrônico como meio de interação não só entre aluno(s)-professor, mas entre aluno-aluno, aluno-alunos, alunos-alunos e aluno-outro falante da língua portuguesa, inglesa, espanhol e outras. Temos utilizado o e-mail, o paltalk, o Skype e o facebook como ferramenta central nos cursos desde 2006. Através da utilização de lista de discussão é promovida a interação entre os alunos, professor e outras pessoas que possam contribuir para o desenvolvimento das habilidades da Teologia Sistemática, Prática, Vetero-testamentária, Neo-testamentária e outras. Aumentam-se as oportunidades de interação real e conseqüentemente aumentam-se o input e as oportunidades de conhecimento nos mais remotos e longínquos lugares. A interação de um-para-muitos, de um-para-um ou melhor ainda de muitos-para-muitos cria uma comunidade discursiva virtual que propicia a aprendizagem colaborativa. Como ressalta Azevedo (2000) pode-se experimentar aprender a distância junto com outros, interagindo com muitos, independentemente da hora e do lugar de cada um.

Verifiquei que esse tipo de interação, seja entre professor-aluno, alunos-alunos, ou entre alunos e correspondentes no exterior, acrescenta uma nova dimensão à aprendizagem da teologia. A comunicação deixa de ser fruto de simulações e passa a fornecer contextos de interações reais que ultrapassam os muros da sala de aula tradicional ao possibilitar o contato com pessoas de diversas partes do mundo.

Como inúmeros estudos vêm demonstrando (Coulthard, 1985; Allwright, 1980; Tsui, 1995, Musemeci,1996; dentre outros), a interação na sala de aula tradicional privilegia a fala do professor e oferece poucas oportunidades de fala ao aluno. O professor interrompe os alunos, rouba-lhes o turno, impede a introdução de tópicos e aloca previamente os turnos. Segundo Allwright (1980), o professor, além de deter a maioria dos turnos, também é responsável pela maioria das interrupções e é o que mais rouba os turnos. É ele também quem faz as solicitações pessoais.

Nas comunidades virtuais de aprendizagem, abandona-se o modelo de transmissão de informação tendo a figura do professor como o centro do processo e estabelece-se a construção social da aprendizagem através de práticas colaborativas. Assim as dúvidas dos alunos são respondidas pelos colegas e deixam de ser responsabilidade exclusiva do professor. Da mesma forma, o professor não é o único a sugerir fontes de informação ou a indicar tarefas. Há uma troca entre os aprendizes e o professor também aprende com os seus alunos.

A flexibilidade de tempo e espaço é a grande inovação desse novo modelo de aprendizagem. Tanto aluno quanto professor não estão mais condicionados a um espaço predeterminado e a horários rígidos. Um exame nos horários de envio das mensagens indica que tanto os alunos quanto o professor utilizam dias e horários os mais diversos. A madrugada, a hora do almoço, o domingo e o feriado são horários comumente utilizados pela comunidade virtual. A participação fica garantida, mesmo em caso de ausências da sede do curso, pois mensagens podem ser lidas ou enviadas de qualquer parte do mundo.

Esperamos por você, aqui no ITS – INSTITUTO TEOLÓGICO SHAMMAH, com as nossas aulas online


Atte.
Pr.Dr. Wagner Teruel
x